No mês de julho, uma notícia insólita assolou o nosso vasto universo da música pesada, e não, não estou falando de Master of Puppets em Stranger Things.

O tal reboliço teve início, quando o “querido” vocalista Phil Anselmo e o baixista Rex Brown anunciaram o retorno de uma das bandas mais cultuadas dos anos 90, o Pantera. E meus amigos, se ainda hoje existem pessoas que amam se digladiar virtualmente sobre a saída de Max Cavalera do Sepultura, imagine agora com este fato, quantas novas batalhas não foram travadas…

Mas entre mortos, feridos e muitos calos nos dedos por digitação textão, Anselmo ainda fez questão de jogar mais lenha na fogueira daqueles que repudiaram o tal retorno do Pantera. Em uma entrevista concedida ao canal no Youtube The Pit, o frontman do Down fez a seguinte declaração:

“Dimebag e Vince sempre quiseram que essa banda fosse uma banda que tivesse um legado, que fosse massiva, que fosse nosso próprio canal para o sucesso, simplesmente isso. Acho que Dime e Vince, na verdade, eu sei que Dime e Vince gostariam que o legado e o nome do Pantera pudesse continuar e continuar, e que isso pudesse bater na cara de todo mundo. eu sei disso com certeza. absolutamente, cara. esse seria o maior sonho deles.”

Substituindo os irmãos Abbott, que fundaram a banda em 1981 em Arlington, no Texas, foram escalados o icônico Zakk Wylde e o baterista do Anthrax,  Charlie Benante. O Pantera encerrou as atividades em 2003 de uma forma nada amigável, rendendo uma severa briga que deixou marcas ainda mais profundas e incuráveis com o assassinato de Dimebag em cima do palco em 2004, e a morte de Vinnie Paul em 2018 .

Aparentemente, o Pantera já tem algumas datas agendadas para o próximo ano. E de todo esse rebuliço o que se pode tirar de aprendizado, é de que apenas o dinheiro fala mais alto em casos como esse, uma vez que, até mesmo os familiares dos finados irmãos aceitaram o “retorno” do grupo.

E você, acha legítimo a volta do Pantera ou apenas um mero caça níquel? Enquanto ainda digere esse assunto, você pode adquirir os cinco discos clássicos da banda e mais de 1500 títulos disponíveis clicando aqui!

 

Nascido no interior de São Paulo, jornalista e vocalista da Sacramentia. Autor do livro O Teatro Mágico - O Tudo É Uma Coisa Só. Fanático por biografias e colecionismo.