Se em 2020 foi um ano onde muitas portas tiveram de se fechar, muitas outras precisaram ser abertas às pressas para o bem estar mental de muitas pessoas. Privadas das situações simples do cotidiano, o Covid 19 foi e ainda é um inimigo, que ao que tudo indica, começa a ser vencido aos poucos.

Mas para além deste caos, na cidade de Osasco SP, este marcante período da história mundial ao menos foi prolifero para o músico Thiago Alboneti, que exorcizou seus demônios internos e externou seus anseios com três  ótimos álbuns, produzidos de forma totalmente independente e idealizados inteiramente pelo mesmo.

Home Sweet Prison, Memories From Last December e Inner Demons (este lançado em um novo projeto chamado Funeral Dawn) são exemplos distintos de como criatividade e a diversidade afloram dos sentidos de Alboneti, resultando em álbuns de conceitos e sonoridades únicas.

E você deve estar se perguntando que após lançar estes três trabalhos, uma pausa seria mais do que bem vinda, correto? Que nada!

Pouco mais de um ano depois, Thiago traz a tona What I’ve Become, o quarto registro do Beyond Chaos. Mais uma vez, o músico assim como todas as bandas do nosso cenário, busca extrair o melhor de si contando com poucos recursos.

O primeiro single Weird (Mind Massacre) foi a primeira amostra a chegar ao público, demonstrando toda a capacidade característica da banda em misturar os elementos mais brutais do Death Metal, porém,  sem o receio ou medo de adicionar melodias mais marcantes e melancólicas aqui e acolá.

E em agosto de 2021 What I’ve Become chegou em totalidade ao nosso ainda pandêmico mundo, trazendo consigo todo o sentimento e as diferentes nuances  das experiências de vida de seu idealizador, dividas em nove faixas, com direito a regravação de Hail To New King, faixa presente no trabalho The Mind Trauma, lançado em 2019.

O quarto registro do Beyond Chaos está disponível no You Tube e em todas as plataformas de streaming.

Testemunhe a fúria e a força deste exército de um homem só!

Nascido no interior do estado de São Paulo em 1994, vocalista da Sacramentia, jornalista, fanático por colecionismo e biografias.