Diretamente de Fortaleza/CE, o Corja é considerado um dos grandes expoentes do Metal Nacional, mostrando o poder e a qualidade do Metal nordestino que não para de nos surpreender. Formada em 2017, o Corja conta com os impressionantes vocais guturais de Haru Cage, a banda aborda conflitos humanos em letras em português introspectivas, se aprofundam na autocritica colocando o dedo na ferida. Completam a banda, o trio instrumentista Darlan Pinheiro (guitarra), Pedro Felipe (baixo) e Silvio Romero (bateria).

A banda está atualmente divulgando seu debut intitulado Insulto. Praticando um Metal visceral extremo, com pitadas do Hardcore o grupo se intitula Metal Crossover, mas não deixam que o rótulo os impossibilitem de desfrutar do melhor que a música autoral possa nos oferecer, sempre surpreendendo com uma miscelânea de influências.

Tivemos o prazer de conversar com a banda e você acompanha a seguir:

Primeiramente muito obrigado e que honra poder contar com a Corja nessa entrevista. Não teria como começar essa entrevista sem falar do lançamento do álbum “Insulto”, que por sinal está incrível. Como está sendo a recepção do público e das mídias especializadas?
Corja: Poxa, agradecemos muito esse retorno de vocês. Pra gente insulto é a culminância de algo que surgiu lá em 2017, a banda compôs uns 15 sons e tocou bastante na cidade, a galera curtia as músicas, mas faltava esse registro. Então em 2019 resolvemos iniciar as gravações…mas veio troca de integrantes, em 2020, em meio a pandemia, começamos os trabalhos das gravinas e passamos o ano inteiro nesse processo. Em 2021 nasceu “Insulto”, um compilado de todo esse ódio e revolta que queremos mostrar nas letras. Temos muito orgulho desse trampo que fecha um ciclo. Já estamos trabalhando em um novo disco, ao mesmo tempo que divulgamos o álbum atual. A aceitação do disco tem sido ótima, tanto o público quanto a mídia têm dado um feedback maravilhoso e estamos muito animados com essa repercussão.

As músicas do disco, são músicas que vocês já tocavam, inclusive que faziam parte dos setlist dos shows. Na hora de gravar vocês mantiveram as estruturas dessas músicas ou fizeram mudanças?
Corja: Mantivemos a mesma estrutura nas músicas, não tiveram alterações.

O primeiro videoclipe da banda foi da música “Do Lar ao Caos”. Porque a escolha desse som e como foi o processo da gravação desse vídeo?
Corja: A escolha dessa faixa foi meio que natural pra todos nós, era o som que mais gostávamos ao vivo. Então na hora de escolher qual música iríamos fazer um clipe, não houve dúvidas. Procuramos a VOMOR para produzir esse clipe, contamos a nossa idéia e ele topou. Nós gravamos em um clube de airsoft, começamos pela manhã e terminamos quase meia noite. Por lá não tinha energia e tivemos que alugar um gerador, então foi bem puxado, mas realmente ficou do jeito que nós queríamos. Tivemos também a atuação da artista performer Anauã Luamy que foi sensacional!

A banda se coloca no estilo ‘Metal Crossover’, poderiam nos explicar essa definição dentro do som da CORJA?
Corja: O termo crossover, nós adotamos pra caracterizar essa mistura que é o som do CORJA! Mesclamos elementos do hard core, das várias vertentes do metal, death metal, groove metal etc. Então adotamos esse “rótulo”, se é assim que podemos dizer, pra definir a nossa música.

As letras tem temáticas políticas, conflitos do ser humano o que mais a Corja aborda nas suas letras? Gostaria que explicassem como é o processo de composição e quem escreve essas letras?
Corja: Fica no tema político e conflitos humanos. Normalmente começamos a criar música nova em estúdio mesmo, cada um traz seu riff e ideia, no final todo mundo participa. Quando a música está quase pronta a Haru as letra. Ela procura abordar as falhas dos indivíduos, seus defeitos e atitudes negativas…essas ações negativas de cada pessoa tornam o mundo onde vivemos esse caos.

Recentemente vocês estiveram em São Paulo pra uma série de ações com a banda. Poderiam falar um pouco dessa passagem, desde a ideia até como foi tudo?
Corja: Fomos para divulgar o álbum, gravamos o programa SCENA no incrível Family Mob Studios, a galera de lá nos recebeu super bem, ficamos hospedados na casa do estúdio. Gravamos também no BAY AREA, onde o Diego, Luciano e toda a equipe de filmagem realizaram um trabalho espetacular, fizemos a captação de imagens para usar posteriormente em um clipe, dessa vez no lendário Nimbus Studios, na Lapa. Ah, rolou todo um networking antes, já faz alguns anos que estamos tendo esse tipo de contato, que foi possível realizar tudo com o lançamento do álbum. A recepção desses canais foi a melhor possível, logo queremos retornar ao Sudeste, dessa vez tocando pra galera.

A Arte da capa chama muita atenção. Uma arte muito bonita por sinal. Do que se trata o conceito e o que buscavam retratar?
Corja: A capa ficou por conta do grande artista pernambucano, Alcides Burn, o cara manda muito. Quando pensamos em todo o universo de “Insulto” logo veio Alcides em nossa mente. Entramos em contato, demos a ideia e ele fez uma das melhores capas de disco de 2021, na nossa opinião. O conceito era retratar artisticamente a falência moral da nossa sociedade, representar a sensação de “asfixia” que é viver no mundo atual, tão injusto e mesquinho.

Logo após de um disco, dizem que já começa a trabalhar em ideias para um próximo lançamento. Já estão compondo novos sons pra um novo trabalho? Já pensam nisso, existe algo encaminhado ou está tudo muito recente muito corrido?
Corja: Sim, é verdade. O processo sempre continua. Já estamos trabalhando em material novo, até pra mostrar a nova cara da banda. As músicas de INSULTO não foram compostas pelos integrantes atuais. Então já estamos trabalhando em um single, que talvez saia ainda em 2021 e mostre a cara da CORJA! Com essa nova formação.

Qual o próximo passo da Corja? Após o lançamento do álbum e do vídeoclipe. Quais as próximas ações e como funciona o planejamento da banda para os próximos passos e objetivos?
Corja: No momento estamos preparando um lyric video e também clipe de músicas do álbum. E após pandemia, temos intenção de entrar em turnê em todo o país, pra divulgar nosso trabalho.

Gostaria de agradecer o tempo disponibilizado para falar conosco d’O SubSolo. É muito bom ver bandas como vocês, conquistando seu espaço com total merecimento. Deixamos esse último espaço para deixarem uma mensagem para nossos leitores!
Corja: Primeiramente queremos agradecer o convite feito pelo O Subsolo, obrigado por esse espaço. Queremos agradecer também a todos que nos acompanham, pessoas que sempre dão muita força, a galera que curte a CORJA! costuma ser muito interativa. Para quem não conhece ainda eu os convido a ouvir nosso álbum Insulto no spotify, temos também o clipe da música “Do lar ao Caos” no youtube, para acompanhar de pertinho segue nosso insta @corja_cebrasil . Abraço a todos e se cuidem!

ASSISTA NA ÍNTEGRA A ENTREVISTA E SHOW AO VIVO PELO CANAL SCENA!

ACOMPANHE CORJA NAS REDES SOCIAIS
FACEBOOK / INSTAGRAM / YOUTUBE

Marcelo Prudencio, Divulgador de bandas da Cena Underground BR, Casado, Carioca 42 anos,.