Início Black Metal Resenha: The Rise of Heresy – The Troops Of Doom (2020)

Resenha: The Rise of Heresy – The Troops Of Doom (2020)

É impressionante como o acaso é capaz de trazer a tona um dos melhores projetos deste miserável ano de 2020.

O estopim para este acontecimento deu-se com a abertura da banda Enterro para o The Mist em meados de 2019. Nesta apresentação, o vocalista e baixista Alex Kafer convidou o lendário Jairo Guedz para a execução da clássica Bestial Devastation do Sepultura, banda esta, que o guitarrista integrou até o ano de 1987. E das faíscas que resultaram desta ocasião, um desejo de reviver a sonoridade dos primórdios da carreira do guitarrista veio à tona, surgindo assim o The Troops Of Doom.

Além de Kafer, outros dois grandes músicos do cenário nacional foram convidados a integrar o projeto, o baterista Alexandre Oliveira (Southern Blacklist, Raising Conviction) e o guitarrista Marcelo Vascos (Mysteriis, Patria) que além de destilar as pesadas bases da banda, ficou responsável pelas incríveis artes e todo o projeto gráfico do quarteto.


A notícia sobre a formação deste supergrupo foi uma grata surpresa tanto dentro do cenário nacional como internacional, rendendo a Guedz e companhia a parceria com o selo Blood Blast, uma subdivisão da gravadora alemã Nuclear Blast, com o foco na distribuição digital de bandas das vertentes mais extremas do Metal.

Formada a banda e munidos de todo suporte necessário, era hora de botar a mão na massa. E os primeiros singles Between The Devil And The Deep Blue Sea e The Confessional vieram à tona, respectivamente, nos dias 5 de agosto e 16 de setembro, demonstrando todo o poderio bélico e a proposta que abrangeria o primeiro lançamento do The Troops Of Doom, o EP The Rise Of Heresy.

 

Bom, o que falar desta primeira pedrada?

Os mais ortodoxos e, principalmente, os apreciadores da primeira fase do Sepultura receberão este trabalho de braços abertos, uma vez que todos os elementos que transformaram Morbid Visions e Bestial Devastation em clássicos estão presentes no registro. O som do grupo é uma ode aos primórdios do Death Metal, em especial, ao que era produzido na cena de Belo Horizonte durante o início dos anos oitenta. Tudo é claro, soando da forma mais natural possível, diferente de alguns casos (tanto da música, como séries, filmes e afins) que de forma exacerbada, buscam jogar a nostalgia goela baixo do público, a tal da nostalgia apenas pela nostalgia…

The Rise Of Heresy funciona como um sucessor espiritual dos dois álbuns citados a pouco, trazendo além da sonoridade já citada, blasfememos temas abordados na temática lírica das composições. A mixagem, produzida na Noruega no Crosound Studio pelo produtor Øystein G. Brun retrata com perfeição toda a atmosfera e o peso infernal que emana dos quatro integrantes.

Talvez o único ponto a se destacar como negativo neste primeiro lançamento, seja em relação a sua curta duração, deixando os ouvintes sedentos por mais. Em contrapartida, vale ponderar se essa não seria uma atitude já pensada pela própria banda, visando um futuro Full Lenght.

O The Troops Of Doom é um projeto que já nasce gigante, e é muito satisfatório rever o grande Jairo Tormentor de volta às suas raízes, produzindo o Death Metal que o consagrou como guitarrista. As quatro faixas inéditas presentes no EP cumprem e muito bem o seu papel, são simples, rápidas, profanas e um verdadeiro soco na boca do estômago. Espero realmente que a banda vingue e se torne ainda maior do que já é.

Em suma, não espere um álbum técnico, cheio de firulas e elementos moderninhos, pois esta nem de longe é a intenção grupo. The Rise of Heresy prova que nem sempre estes são vitais para se produzir uma obra memorável, tornando-o de imediato em um clássico instantâneo. Além das plataformas digitais, o EP foi disponibilizado na íntegra no canal oficial da banda no Youtube. Para os colecionadores como eu, as versões físicas foram lançadas em diferentes formatos, inclusive em fita k7!

Um trabalho que em todos os aspectos, conversa com o passado, compreende as formas e os anseios do consumo musical do presente, ao mesmo tempo em que faz com que esperemos ansiosos pelo o que esta por vir em um futuro (que espero ser) próximo.

Vida longa ao The Troops Of Doom!

TRACKLIST

01) Whispering Dead Words
02) Between The Devil And The Deep Blue Sea
03) The Confessional
04) The Rise Of Heresy
05) Bestial Devastation
06)Troops Of Doom

FORMAÇÃO
Alex Kafer- baixo, vocal
Jairo “Tormentor” Guedz- guitarras
Marcelo Vascos – guitarras
Alexandre Olveira – bateria

Nascido no interior do estado de São Paulo em 1994, vocalista da Sacramentia, jornalista, fanático por colecionismo e biografias.