Início Death Metal Resenha: Memories From Last December – Beyond Chaos (2020)

Resenha: Memories From Last December – Beyond Chaos (2020)

Formada em 2019 em Osasco, São Paulo, a one man band Beyond Chaos presenteia o seu público com o seu terceiro álbum, o Memories From Last December, sucessor de Home Sweet Prison lançado também em março deste ano. Vale ressaltar, que já apresentei o projeto na coluna Conheça. Caso o amigo leitor desejar conhecer na íntegra os detalhes dessa incrível banda, basta clicar aqui.

Agora, se você deseja algo mais enxuto, posso lhe dizer em poucas palavras. A banda é liderada exclusivamente por Thiago Alboneti, que sem dúvidas, é uma das mentes mais produtivas e criativas da cena nos últimos tempos. Para se ter uma noção, o trabalho resenhado é o segundo de três álbuns lançados apenas este ano. O cara literalmente é uma máquina de compor e produzir.

Além do Beyond Chaos, ele ainda possuí outro projeto, voltado para o Doom Metal, o Funeral Dawn.

Mas este é um assunto para uma futura resenha, vamos mergulhar nesta melancólica e pesadíssima viagem às memórias do último dezembro…

Logo nos primeiros minutos somos apresentados à climática The Calm Before the Storm com seus dedilhados quase hipnóticos, uma típica faixa preparatória para a pancadaria que se avizinha e que realmente faz jus ao nome que carrega.

I, The Outcast, uma parceria com Silas Rodrigues na parte lírica, traz um peso característico do Death Metal, porém, não se intimida ao adicionar pitadas melódicas e toques de Black Metal, como os tradicionais trêmulos em uma passagem aqui e acolá. Um refrão marcante, em uma letra que explora a ira e a vingança dos que são excluídos ou julgados perante os valores de uma suposta sociedade perfeita.

Na sequência temos Meaningless Life com um riff que faz a cabeça balançar e, consequentemente, causou arrepios a quem vos escreve. A música acaba e a contemplação do que se acabou de ouvir ainda ecoa em seus ouvidos.

Porém, essa sensação se esvai rapidamente com a chegada da caótica A Happy Family que expõe em sua temática, a hipocrisia de uma perfeita família religiosa, perfeita perante a comunidade, mas internamente doente e sádica. Ao mesmo tempo que a canção carrega todo esse confuso sentimento, consegue presentear o ouvinte com belas harmonias em alguns pontos específicos.

É impressionante como esses contrastes são bem apresentados ao decorrer de toda obra.

Em Not a Romance or Poetry somos arremessados novamente nesse misto do hipnótico com a cadência e o peso, porém, com alguns elementos muito característicos da velha guarda do Death Metal, por vezes, remetendo em algumas passagens, riffs dos primeiros álbuns de bandas como Sepultura na época do Bestial Devastation e Morbid Visions. A letra é uma espécie de crítica a atual romantização da depressão e do suicídio, vistas em séries como 13 Reasons Why e afins.

Então chegamos à faixa que dá nome ao álbum, Memories From Last December de riffs rápidos e talvez a que mais flerta com o Black Metal. E que refrão épico, diga-se de passagem, minha gente!

Aqui os vocais de Thiago Alboneti alcançam notas altas e exprimem todo o sentimento contido nas entrelinhas da composição, que trata sobre as possíveis consequências de um término de um relacionamento.

Você sabe quando um determinado disco é bom, quando você nem termina de assimilar uma faixa e logo entra mais uma pedrada que tira você da zona de conforto, e isso se repete com as rápidas The Forgotten e Holy Judgment.

From Nothing I Came, To Nothing We Go traz a boa cadência com toques sutis da agressividade característica do Beyond Chaos. Chegando ao fim dessa obra com a faixa mais fora da curva de todo o álbum (no quesito temático), mas que não decaí da qualidade apresentado no caminho até aqui.

Eu Sunt Dracul é uma ode ao vampirão mais conhecido e amado da cultura pop, preciso mesmo dizer quem é? Com pitadas de climas vitorianos é uma faixa que mais uma vez mescla o peso e o harmônico em uma Ária do Death Metal que finaliza de forma magistral o trabalho.

Em suma, Memories From Last December é uma prova cabal que a criatividade do guitarrista e mentor da banda Thiago Alboneti está há anos luz de se esgotar. É uma obra que consegue expressar tanto sonora como liricamente dois sentimentos muito distintos, raiva e desespero.

Depois da passagem segura do segundo registro, o Beyond Chaos retorna com um trabalho primoroso em todos os sentidos. Um álbum capaz de trazer a boa e velha vontade de banguear ao som dos riffs rápidos e vocais guturais, mas que não tem medo de adicionar elementos que remetem a um sentimento mais emocional.

A técnica musical de Alboneti está longe de ser contestada. O guitarrista assume o posto em todos os instrumentos, extraindo o melhor de cada uma deles, dando ao álbum uma sonoridade que agradará os mais ortodoxos fãs do Death Metal, mas que, ao mesmo tempo, é técnico sem as frescuras e firulas do sonífero Dream Theater.

A produção é algo a se destacar também, uma vez que, tudo o que se ouve no decorrer do trabalho foi feito inteiramente de forma independente. Isso é uma prova de como os músicos atualmente buscam aprimorar os seus conhecimentos para além do simples sentar e tocar.

Com certeza Memories From Last December merece a sua atenção. Ele está disponível na íntegra no Youtube e também nas principais plataformas de streaming. O álbum sem demagogia alguma, é um dos grandes lançamentos deste esquizofrênico ano de 2020.

TRACKLIST
01) The Calm Before The Storm
02) I, The Outcast
03) Meaningless Life
04) A Happy Family
05) Not a Romance or Poetry
06) Memories From Last December
07) The Forgotten
08) Holy Judgment
09) From Nothing I Came, To Nothing We Go
10) Eu Sunt Dracul

SIGA BEYOND CHAOS
FACEBOOK / YOUTUBE

Nascido no interior do estado de São Paulo em 1994, vocalista da Sacramentia, jornalista, fanático por colecionismo e biografias.